Informações Gerais: 18º Curta Santos

18º CURTA SANTOS EXIBE MAIS DE 90 FILMES ONLINE, ENTRE CURTAS
E VIDEOCLIPES, DE 14 A 20 DE OUTUBRO. PROGRAMAÇÃO É GRATUITA

+ INFORMAÇÕES À IMPRENSA

COM LÚCIO NUNES E RAFAELLA MARTINEZ
13 99143-0806 / 13 99104-5335


PELA PRIMEIRA VEZ EM FORMATO ONLINE, FESTIVAL CONTARÁ AINDA COM AÇÕES
FORMATIVAS EM PARCERIA COM O SESC SANTOS E O ECOSSISTEMA ÂNIMA


Pela primeira vez na história em formato virtual em função da pandemia da Covid-19, a 18ª edição do Curta Santos levará o cinema à casa dos espectadores. Serão 56 sessões em seis dias por meio do canal oficial do Youtube (/festivalcurtasantos), em uma verdadeira maratona para o público que aprecia a produção audiovisual.

Ao atingir sua 18ª edição, o Curta Santos – Festival de Cinema de Santos propõe um olhar diverso e aprofundado sobre o momento atual e sobre como a crise mundial de saúde pública impactou a cadeia produtiva criativa, especialmente o setor audiovisual, ao propor como tema ‘Ensaios sobre Amanhã’. O cartaz deste ano conta com ilustração do santista Demontier.

Para as mostras oficiais, o festival recebe 56 obras vindas de doze estados brasileiros e do Distrito Federal, sendo 36 curtas-metragens e 20 videoclipes. Serão 18 curtas para o recorte da produção nacional, a mostra Olhar Brasilis; 18 curtas destinados a representar a produção da Baixada Santista, na mostra Olhar Caiçara; e, da mesma forma, 10 videoclipes na mostra Videoclipe Brasilis e outros 10 na mostra Videoclipe Caiçara.

Adaptada à edição online, a escolha popular dos melhores filmes/videoclipes de cada categoria das mostras oficiais se dará por meio de votação durante cada sessão, com o link da cédula virtual sendo disponibilizado em tempo real no chat do canal Curta Santos no Youtube.

Por fim, na impossibilidade da ocupação presencial de diversos espaços simultâneos para realizar as tradicionais reprises das sessões, o Festival disponibilizará cada uma delas durante 24h em seu canal oficial.

Mostras Especiais

A programação prevê ainda cinco mostras especiais, também online. Uma delas é a Mostra Internacional Cidades Criativas, com produções das sete cidades que, além de Santos (contemplada em 2015), possuem o título outorgado pela UNESCO. O Curta Santos teve papel essencial na conquista desta indicação e, vale ressaltar, esta mostra contaria inclusive com os representantes de cada cidade participante no evento, em caso de edição presencial.

Também integram a grade a Mostra Universitária Ânima, que reunirá obras cinematográficas produzidas por alunos e egressos do Ecossistema Ânima; a Mostra MABS, com criações do Movimento Audiovisual da Baixada Santista; uma edição especial da Mostra das Minas, com filmes dirigidos e produzidos por mulheres; e a Mostra Regional Festa62, com os registros audiovisuais dos espetáculos teatrais da região apresentados durante o 62º Festival Santista de Teatro (FESTA), no início do mês.

Sobre a parceira com o FESTA, a organização do Curta Santos ressalta dois pontos: o processo de adaptação das propostas cênicas para o ambiente cinematográfico, por parte de cada companhia e artista participante; e a longa relação histórica entre os dois festivais, uma vez que o Curta Santos surgiu a partir das fileiras da mostra teatral.

Atividades formativas - O 18º Curta Santos explora também o formato online para renovar sua vocação formativa, com atividades em parceria com o SESC Santos e com o Ecossistema Ânima. Com o SESC Santos - e exibição pela plataforma Sesc (@sescemsantos) - serão realizadas três atividades. A primeira delas é a Roda de Conversa “Ensaios Sobre Amanhã”, abrindo o festival, no dia 14, às 20h, com participação das cineastas Renata Martins e Cibele Appes e da pesquisadora Ramayana Lira.

Em seguida, já pelo canal do Curta Santos no Youtube, haverá a sessão de abertura do festival, com o filme, “Sem Asas”, de Renata Martins, eleito melhor curta-metragem do Grande Prêmio do Cinema Brasileiro 2020; Também contam com a parceria do Sesc Santos outras duas oficinas: Masterclass de Roteiro e Direção, com a diretora e roteirista Beatriz Seigner; e o curso Olhares Para Curtas Contemporâneos, com o jornalista e crítico de cinema Adriano Garret.

Já tendo o Ecossistema Ânima como co-realizador, o Festival ainda traz a Oficina “Cinema Queer: Explorando Desvios Da/Na Imagem Em Movimento”, novamente com Ramayana Lira; e a Oficina de Crítica Cinematográfica “Para Que Serve A Crítica”, com o jornalista e professor de cinema Cezar Zamberlan.

Todas as atividades são gratuitas e têm inscrições online até o dia de sua realização. Mais informações pelo site www.curtasantos.com.br.


Curta Santos: 18 Anos de História e Inovação

Há 18 anos o Curta Santos promove, exibe, discute, valoriza e difunde a importância do audiovisual brasileiro, propondo um diálogo entre a produção nacional e os realizadores do litoral paulista. Com isso, fortalece o polo de produção caiçara, além de formar e sensibilizar o público para o filme curto.

Ao optar pela programação online, reforça o compromisso com a segurança do público e de seus realizadores, oferecendo uma programação diversificada, reforçando o isolamento social.

“O audiovisual foi um dos setores mais impactados pela pandemia. Pela primeira vez o festival acontecerá em dezembro e a escolha desta data deve-se à intenção de propor uma leitura mais consolidada sobre o presente e o futuro do audiovisual no Brasil”, comenta o diretor executivo do festival, Ricardo Vasconcellos.

Já o diretor artístico do Curta Santos, Junior Brassalotti, complementa: “Precisamos refletir sobre os inúmeros desafios que temos enfrentado durante a pandemia, que vão desde os novos protocolos de filmagem às janelas de exibição, passando pelas políticas públicas de incentivo e fomento e a possibilidade da realização de eventos híbridos a curto prazo para garantir a circulação de nossa produção”.

Historicamente o Curta Santos busca reverberar uma produção inquieta, sem amarras, livre nas suas formas de expressão e linguagem estética e de gêneros, abarcando novos formatos, gerando novas posturas, abordagens, análises e conteúdo. Assim, celebra a produção independente e lança um olhar mais acurado para que sua realidade seja entendida.


MOSTRAS OFICIAIS

 
MOSTRA OLHAR CAIÇARA             em ordem alfabética


AETERNUS |
Direção: Matheus Correia| Terror | 12’37’’ | Santos/SP | 2015 | cor | 14 anos.
Um homem tenta escapar de sua amada em uma série de sonhos e tormentos eternos.

BLANDINA | Direção: Arthur Micheloto| Ficção | 13’47’’ | Santos/SP | 2019 | cor | Livre.
Blandina é um filme que retrata a relação de mãe e filha, em um momento crítico de sobrevivência, no qual a Blandina mascara a fome de Angelina, com brincadeiras e canções de ninar, com o intuito de amenizar aquela dor.

CÁPSULA | Direção: Victoria Lam | Documentário | 6’30’’| Santos/SP | 2020 | cor | Livre.
A partir de imagens e áudios feitos de Março à Outubro de 2020, Victoria se questiona sobre a vida pré e durante isolamento social onde as lembranças são os únicos momentos em que estamos fora de casa e quem nós somos quando forçadamente temos que nos adaptar à outra rotina.

CORTE | Direção: Matheus Correia e Allan Albino| Terror | 8’26’’ | Santos/SP | 2017 | cor | 16 anos.
Em uma sociedade autoritária, todos são obrigados a se vestir da mesma forma e a não se expressar, sendo assim: livros, arte, música e qualquer expressão artística é proibida, aqueles que desafiam isso sofrem consequências.

HELENAS | Direção: Lucas Bovo e Hiago Netto| Ficção | 19’39’’ | Santos/SP | 2019 | cor | 12 anos.
Theo é um artista plástico que se encontra em um estágio de luto e vício. Um encontro o fará remoer suas memórias ao mesmo tempo em que o faz iniciar um novo processo criativo.

JEITINHO BRASILEIRO | Direção: Dayana Santos e Luana Marques | Documentário | 12’58’’ | Santos/SP | 2019 | cor | Livre.
Como usamos o tal jeitinho, muitas vezes de maneira não problemática e até banal, não percebendo o quanto isso influencia nos grandes problemas que enfrentamos hoje?

LAMMIUH | Direção: Ranni Souza | Terror| 20’00’’ | Guarujá/SP | 2018 | cor | 14 anos.
O que parecia ser a princípio mais uma simples e rotineira ocasião, no qual as relações interpessoais são colocadas em debate, e assuntos conflitantes se tornam centro de olhares e falas agitadas, se revela como uma terrível e estranha noite, em que acertos precisam ser realizados o mais rápido possível, antes que seja tarde demais para todos.

MAR-CELO | Direção: Arthur Lotto| Documentário | 11’51’’ | Santos/SP | 2019 | cor | Livre.
O documentário conta a história do Marcelo que descobriu ainda criança, que era adotado. Por conta de sua reação e dos acontecimentos que sucederam sua descoberta, ele encontrou no surf, um lugar de refúgio e bem estar.

MULHERES DE FÉ | Direção: Bruna Santos e Dalila Ramos | Documentário | 17’24’’ | Santos/SP | 2019 | cor | Livre.
O documentário Mulheres de fé conta a trajetória de duas mulheres de diferentes religiões que se encontram na luta feminista a partir da sua fé.

MENSAGEM DAS ESTRELAS | Direção: Ariel Pereira Quintela | Ficção Científica| 10’41’’ | Santos/SP | 2020 | cor | Livre.
Uma notícia urgente interrompe uma briga entre pai e filha. Uma forma de vida inteligente fora da terra nos enviou um questionamento. "Você é feliz?". O debate gerado entre um filósofo e um cientista no jornal sobre o que é felicidade transforma o conflito que estava acontecendo e traz à família uma oportunidade para se perdoarem.

O PRIMEIRO RETRATO | Direção: Juliana Gomes e Luiz Roberto Penereiro| Drama| 12’32’’ | Santos/SP | 2019 | cor | Livre.
Registrar momentos é o hobbie preferido de Rafael. Ao visitar a família de seu namorado pela primeira vez, ele se vê em meio a uma intriga familiar. Rafael encontra refúgio no quarto de Ana, avó de seu namorado que sofre com Alzheimer. É lá que ele encontra a oportunidade de eternizar um momento especial que tanto procurava.

PRIMOGÊNITO | Direção: Beatriz Yomoto | Drama| 14’40’’ | Santos/SP | 2019 | cor | 18 anos.
Reclusos de um convívio social, Sete e Quatro são mantidos no apartamento em que vivem com a mãe, Um. A morte do marido implicou em novas tradições e regras ditadas pela matriarca, provendo o desatar de laços familiares e uma cobiça fora de controle.

O RATO ROEU | Direção: Marco T. Alves| Drama| 09’07’’ | Santos/SP | 2016 | cor | 16 anos.
Johnny e Julio são criminosos que precisam terminar seu trabalho custe o que custar. Para isso, precisam se entender. E sobreviver à noite e a sua fauna. Na madrugada, a cidade queima e os ratos se atiçam sob os escombros de um amanhecer que não parece querer chegar.

PORTA RETRATO | Direção: Eduardo Ferreira | Documentário| 16’’ | Santos/SP | 2020 | cor | Livre.
Quais os medos, anseios e consequências para um jovem LGBTQ+ ao "sair do armário"? O documentário resgata esse momento tão delicado na vida da cantora Maria Sil, do estudante George Narciso e do fotógrafo Andrey Haag, abordando seus sentimentos e incertezas.

SOBRE NOSSA SITUAÇÃO | Direção: Leandro Olímpio | Documentário| 3’00’’ | São Vicente/SP | 2020 | P&B | Livre.
Olhando pra trás, as coisas eram bem mais fáceis, né?

SOLARES| Direção: Daniel Bueno |Experimental| 13’01’’ | Santos/SP | 2018 | cor | Livre.
Numa praia, pessoas vivem suas reflexões, frustrações e fantasias sobre arrependimentos da vida. Uma jornada visual de redenção.                   

VILA DOS PESCADORES| Direção: Cintia Neli da Silva Inacio e Geovanne Rafael V. da Silva| Documentário| 15’26’’ | Cubatão/SP | 2019 | cor | Livre.
Realizado por moradores da Vila dos Pescadores, em Cubatão, constrói através de depoimentos, um pouco da história dos antigos moradores do bairro e sua relação direta com a pesca e o meio ambiente, trazendo o olhar positivo dos moradores sobre a Vila dos Pescadores.

VOU TE SEGUIR NA ESCURIDÃO| Dir.: Vitor Pontes| Terror| 19’42’’ | Santos/SP | 2020 | cor | 16 anos.
Um homem isolado em casa é surpreendido com a estranha e repentina aparição da falecida mulher. Sua presença, ligada a alucinações, o leva a uma crescente de loucura levando-o a revisitar sua culpa por, secretamente, ter cometido seu assassinato. 

 

 

MOSTRA VIDEOCLIPE CAIÇARA    em ordem alfabética


“CORRE” – DG R
Direção: Victor Luiz dos Santos (Tutoria)| Ficção| 2’46’’| Santos/SP | 2020 |  P&B | Livre
O videoclipe de "CORRE" é uma produção dos jovens das Oficinas Quero^ 2º ano. Devido ao período de isolamento social por conta da Covid-19, a produção deste videoclipe foi realizada online.

“ENQUANTO EU NÃO ME ENTENDER” – Autêntica
Direção: Fernando Morini e Matheus Pereira | Ficção| 3’33’’| Santos/SP | 2020 | Cor| Livre
O clipe apresenta a angústia do eu lírico em um momento de questionamento e confronto pessoal, nesta produção independente, idealizada e realizada em plano sequência.

“ESTRANHAMENTE” – Rica Silveira
Direção: Rica Silveira |Ficção| 3’16’’| Santos/SP | 2020 | Cor| Livre
Sem desculpas para não fazer! Em meio a pandemia os rappers Rica Silveira e KLR Dogtreze acabam de liberar o clipe da música Estranhamente gravado em celular.

“FALTOU TINTA” – NOVOS PRAIANOS
Direção: Visual Extra Terrestre| Documentário| 5’47’’| Santos/SP | 2020| Cor | Livre
Como é existir nas orlas da praia de Santos...

“INDEPENDÊNCIA” – Robson Peres
Direção: Robson Peres| Experimental | 3’39’’| Santos/SP | 2018 | Cor| Livre.
Poesia e música instrumental andam de mãos dadas. Santos é o cenário que aquarela o enredo.

“MEU CORRE” – P.V.T.S
Direção: Nildo Ferreira | Ficção | 3’08’’| Cubatão/SP | 2020 | Cor| Livre.
O videoclipe narra o sonho de milhares de jovens do país: vencer na vida e ajudar a família a ter melhor qualidade de vida.

“NOVA AURORA” – Ice Dee e Rogério Baraquet
Direção: DJ Cuco, Ice Dee e Rogério Baraquet | Ficção |5’08’’’| São Vicente/SP | 2020 | Cor| Livre.
Clipe de rap baseado na letra da canção "Nova Aurora" de Rogério Baraquet e Ice Dee

“SÓ AGRADECER” – Diego Alencikas
Direção: Diego Alencikas | Ficção |03’30’’| Santos/SP | 2020 | Cor| Livre.
Em isolamento social devido à pandemia do COVID-19, Só Agradecer foi produzida totalmente em casa, assumindo isso ao decidir "brincar" com a câmera e com a edição.

“SORRISOS CRÔNICOS” – Célia Demézio
Direção: Célia Demézio | Experimental |04’01| São Vicente/SP | 2016 | P&B| Livre.
O videoclipe procura narrar a letra da música com uma estética que lembre um pouco os filmes noir e expressionistas, com uma imagem em close em apenas um quadro.

“VOU SAIR PARA CATAR GENTE” – Edu Luz e Jaque da Silva
Direção: Cibele Appes | Documentário |3’41’’| Santos/SP | 2019 | Cor| Livre
Clipe da trilha original feita para o documentário "Vou sair pra catar gente", feito com imagens que integram o filme. Projeto da fotógrafa santista Biga Appes, que propôs uma galeria a céu aberto de fotos em formato de lambe e espalhados pelos muros da cidade de Santos. 


MOSTRA OLHAR BRASILIS            
em ordem alfabética

ALCATÉIA
Direção: Carolina Castilho | Ficção | 17’35’’ | Indaiatuba/SP | 2020 | cor | 14 anos.
Mulheres que correm umas com as outras. Curta-metragem livremente inspirado pelo livro “Mulheres Que Correm Com os Lobos”, de Clarissa Pínkola Estés.

APNÉIA
Direção: Carol Sakura & Walkir Fernandes| Animação| 15’00’’| Curitiba/PR| 2019 | cor | 12 anos
Muriel não sabia nadar, tinha tanto medo. Um medo que ecoava a distância de sua mãe e trazia à tona os pavores e monstros da infância.

ARAPUCAS
Direção: Danilo Kamenach| Ficção | 20’00’’ | Silvânia/GO| 2020 | cor | 10 anos
Gaia é uma documentarista ornitóloga que em meados dos anos de 1980 se perde em uma estrada isolada no meio de uma floresta cercada de mistérios sombrios.

CASTANHAL
Direção: Rodrigo Chagas e Marques Casara| Documentário | 20’00’’ | Boca do Acre/AM e São Paulo/SP| 2020 | Cor | Livre.
No sul do estado do Amazonas, a coleta dos frutos das castanheiras perdura por gerações de extrativistas. Enquanto o progresso do agronegócio insiste em derrubar e queimar, quem cuida das árvores centenárias teme pelo futuro da Amazônia brasileira – e da própria vida.

CINEMA CONTEMPORÂNEO
Direção: Felipe André Silva| Documentário | 5’03’’ | Cabo de Santo Agostinho/PE| 2019 | cor | 16 anos
Eu era bem novo quando fui estuprado pela primeira vez. Pensava em contar essa história um dia, a história dessa foto. faltava coragem. Se o filme pudesse falar por mim eu conseguiria.

DE ONDE VÊM OS DRAGÕES
Direção: Grace Luzzi| Animação | 9’54’’ | São Paulo/SP e São Sebastião/SP| 2020 | Cor | Livre
Ao nascer um bebê, também nasce uma família e suas complexidades.  "De onde vêm os dragões" é um curto e bem humorado retrato sobre a maternidade e os seus desafios diários.

DOIS HOMENS AO MAR
Direção: Gabriel Motta| Ficção | 16’47’’ | Porto Alegre/RS| 2020 | P&B | Livre
Ao deixar o Brasil, César conhece Martin em um café vazio de Tallinn, Estônia. Em frente aos dois homens, apenas o incerto infinito do mar.

ELA QUE MORA NO ANDAR DE CIMA
Direção: Amarildo Martins| Ficção | 14’17’’ | Curitiba/PR| 2019 | Cor | Livre.
Luzia vira “cobaia” dos doces e quitutes da vizinha confeiteira, Carmem. A amizade evolui para uma paixão platônica, que traz um novo sabor para os dias amargos de Luzia.

EM REFORMA
Direção: Diana Coelho| Documentário | 20’00’’ | Natal/RN| 2019 | Cor | Livre
Ao receber a notícia de que a filha vem passar uns dias em sua companhia, Bianca decide retomar a obra inacabada na laje de sua pequena casa. Os planos, contudo, não saem como o esperado.

EM QUADRO
Direção: Luiza Campos| Ficção | 11’28’’ | São Paulo/SP| 2020 | Cor | 12 anos
Num set de filmagem, olhares, gestos e palavras atravessam, invadem e oprimem.

ENDLESS LOVE
Direção: Duda Gamboji| Documentário | 15’00’’ | Rio de Janeiro/RJ| 2018 | Cor | Livre.
Cantores e cineastas amadores se encontram nos karaokês do Rio de Janeiro. Esses encontros são filmados, imaginados e costurados pelas canções infinitas que os motivaram.

FAIXA DE GAZA
Direção: Lúcio César Fernandes| Ficção | 16’00’’ | João Pessoa/PB| 2019| Cor | 16 anos
Em um conjunto habitacional de periferia, um bando de jovens alicia e comete crimes em meio a uma guerra de facções noticiadas pelas ondas do rádio.

HOMENS INVISÍVEIS
Direção: Luis C.s de Alencar | Documentário | 25’53’’ | Rio de Janeiro/RJ | 2019 | Cor | 10 anos.
Um olhar para a situação da população de transmasculinos nas prisões, a partir dos problemas gerados pelo desconhecimento, transfobia, preconceito e discriminação.

JULIETA DE BICICLETA
Direção: Juliana Sanson| Ficção | 15’00’’ | Curitiba/PR| 2018 | Cor | 12 anos.
Julieta avança noite adentro com a bicicleta de seu filho. Sua viagem é interrompida por uma tentativa de assalto.

O MUNDO DE CLARA
Direção: Ayodê França| Animação | 7’00’’ | Recife/PE| 2019 | Cor | Livre.
Um poema visual sobre uma mulher em busca de reconciliação com sua própria história.

SELMA DEPOIS DA CHUVA
Direção: Loli Menezes| Ficção| 12’00’’ | Florianópolis/SC| 2019 | P&B | Livre
Selma é uma mulher trans que construiu sua vida afastada da família. Um dia ela recebe um chamado para ir ao encontro de sua mãe.

SEREMOS OUVIDAS
Direção: Larissa Nepomuceno| Documentário| 12’55’’ | Curitiba/PR| 2020 | Cor | Livre
Como existir em uma estrutura sexista e ouvinte? Gabriela, Celma e Klicia, três mulheres surdas com realidades diferentes, compartilham suas lutas e trajetórias no movimento feminista surdo.

SER FELIZ NO VÃO
Direção: Lucas H. Rossi dos Santos| Documentário| 12’ | Rio de Janeiro/RJ| 2020 | Cor | 14 anos
Um ensaio preto sobre trens, praias e ocupação de espaço.


MOSTRA VIDEOCLIPE BRASILIS    em ordem alfabética


“BATIDÃO” - Enme
Direção: Jessica Lauane | Ficção| 3’09’’| São Luís/MA | 2020 | Cor | Livre
O videoclipe Batidão, que conta com o balé fiel de Enme e participações especiais, traz um clima neon, fazendo referência a clipes de divas pop como Beyoncé e Rihanna.

“DINHEIRO” - 50 Tons de Pretas
Direção: Matheus Heinz | Animação| 3’35’’ | Porto Alegre/RS | 2019 | Cor | Livre
É sempre assim essa história sempre a se repetir. É com patrão com patrãozinho, é com chefão, sempre assim. Na hora H, na hora de pagar, da grana rolar. Ela não vem sempre alguém tem uma desculpa pra dar. Agora eu quero o que mereço, o meu direito, o meu preço. Eu quero a droga da moeda, pare de me lesar. Dinheiro, meu que paranoia! Dinheiro.

“ERRANTE” - Fappo & Os Humanóides feat Aline Stoffel
Direção: Gabriel Mota | Ficção| 4’11’’| Porto Alegre/RS | 2019 | Cor | Livre
A separação deixa marcas. Duas mulheres buscam esquecer sua ex-companheira na difícil rotina do dia a dia. Cada uma com sua própria dor, elas lutam para superar o passado.

“IN CIRCLES” - Ypu
Direção: João Diel Bastos | Ficção| 3’34’’’ | Brasília/DF| 2020 | Cor | Livre
Criada originalmente para a trilha sonora de “Ainda Temos a Imensidão da Noite”, recente longa estrelado por Ayla Gresta e Gustavo Halfeld, “In Circles” se transforma em registro audiovisual colaborativo. As sonoridades cíclicas e as batidas dançantes reforçam a repetição do dia a dia, os passos ensimesmados e a surpresa gerada por rupturas nesses ciclos.

“LAÍS” - Vitor Guima
Direção: Armando Lima | Ficção| 03’17’’ | Araras/SP| 2020 | Cor | Livre
Videoclipe oficial da oitava faixa do álbum "O Estrangeiro", disco de estreia do cantor e compositor, incluído entre os melhores discos nacionais de 2019 pelo jornal O Estado de S. Paulo.

“MOINHOS DE VENTO” - Zebeto Correa
Direção: Dani Drummond | Ficção| 4’10’’| Belo Horizonte/MG | 2020 | P&B | Livre
O clipe, passado ao revés, retrata o processo de mudança de apartamento no qual o cantor se depara com uma série de objetos pessoais que remetem às suas memórias, aos amigos perdidos, às relações desatadas.

“O HOMEM NO ESPELHO” - Igor Conrad
Direção: Vinícius Lara e Henrique Wallau | Ficção| 4’20’’ | Porto Alegre/RS | 2019 | Cor | Livre
No videoclipe o Homem no Espelho uma garota se vê em um estado emocional conturbado, necessitando assim de um conselho. Ela precisa entender que o amor e a dor estão na mesma frequência. Recorrendo assim a voz da sua consciência, à procura desta ajuda.

“PRA QUEM DUVIDOU” - Quebrada Queer
Direção: Cibele Appes e Lucas Kakuda | Ficção| 04’44’’ | São Paulo/SP| 2018 | Cor | 10 anos.
Segunda música do coletivo de seis artistas negros, indígenas e LGBTQI+, independentes, que fizeram a primeira cyfer gay da América Latina.Filmado no clássico “castelinho” da Rua Appa, em São Paulo, de forma independente e colaborativa.

“PRIMEIRO REMIX” - Antonio e Gustavo Rosseb
Direção: Raphael Correa | Ficção|  3’25’’’ | São Paulo/SP| 2019 | Cor | 10 anos.
Antonio traz uma roupagem dançante e vintage para a canção propondo um universo completamente imersivo e com referências de Future Bass e uma pitada de balanço.

“TIREM AS CERCAS” - Regiane Araújo feat. Núbia e Débora Melo
Direção: Thais Lima | Ficção|  7’47’’ | São Luís/MA | 2020 | Cor | Livre.
Em seu primeiro videoclipe, a cantora Regiane Araújo celebra o poder feminino.